Solana aponta otimismo em relação a governo palestino

O auto representante da Política Exterior da União Européia Javier Solana afirmou neste domingo que sua viagem ao Oriente Médio lhe deu "muitas esperanças" para a formação de um governo palestino unido.Solana fez a declaração depois de reunir-se com o secretário geral da Liga Árabe, Amr Musa, no aeroporto internacional do Cairo, onde chegou na manhã deste domingo para um giro no Oriente Médio, depois de visitar Líbano e Israel, territórios palestinos e a Jordânia."Saio desta viagem com muitas esperanças de conseguir um governo palestino unido para bem de seu povo, que enfrenta uma situação muito difícil", afirmou Solana. O representante europeu falou de sua visita ao Líbano, onde tratou das dificuldades que causam obstáculo à reconstrução do país. "Nós apoiamos o governo do primeiro-ministro libanês Fuad Siniora e trabalhamos com ele para assegurar a aplicação das resoluções do Conselho de Segurança", afirmou Solana. "Estamos fazendo tudo o que podemos para que a Finul (Força Interina da ONU no Líbano) cumpra seu dever", reiterou Solana.As conversas entre Musa e Solana foram concentradas no resultado da viagem do responsável europeu pela região e nas preparações para um movimento árabe-europeu para ativar o processo de paz entre palestinos e israelenses.Musa, afirmou que Solana "nos traz esperança" para pôr fim ao conflito palestino-israelense. O secretário geral da Liga Árabe confirmou que em suas conversas com Solana "sentiu a preocupação em relação a atual situação da região e em especial em relação à palestina"."Nós também estamos preocupados com a situação palestina, mas o alto representante nos traz esperança e acreditamos que existe a possibilidade para colocar fim no conflito através do estabelecimento de um governo palestino do qual todos concordem", apontou Musa.No sábado, onze países integrantes do Forum Mediterrâneo (Foromed) firmaram um acordo em Alicante, na Espanha, para impulsionar o processo de paz no Oriente Médio. Espanha, Portugal, Itália, França, Malta, Grécia, Turquia, Marrocos, Tunísia, Argélia e Egito formam o grupo, que tem como "observador convidado" a Líbia.Durante sua visita de dois dias ao Egito, está previsto que Solana se reúna com o presidente Hosni Mubarak e com o ministro dos Exteriores Ahmed Abul Gheit, entre outros representantes do governo do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.