Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Solana desembarca em Teerã com o pacote de incentivos

O chefe de política Externa da União Européia (UE) desembarcou nesta segunda-feira em Teerã carregando o pacote de incentivos ocidentais que tem como objetivo persuadir o Irã a encerrar seu programa de enriquecimento de urânio. Javier Solana disse a repórteres no aeroporto de Teerã que o Ocidente quer "iniciar um novo relacionamento baseado no respeito mútuo e na confiança". Ele se encontrará, na terça-feira, com o ministro do exterior iraniano Manouchehr Mottaki e com o negociador-chefe da questão nuclear Ali Larijani.Mottaki, que voltou de Omã pouco antes de Solana desembarcar, disse que a UE e o Irã deverão lançar o que ele chama de "diplomacia de ida e de volta", em um esforço para superar suas diferenças em relação à questão nuclear iraniana. Solana afirmou que acredita que o pacote de incentivos e as ameaças de punições devem "nos permitir começar negociações baseadas na confiança, no respeito e na confidência". O pacote, fechado por seis das mais poderosas nações do mundo, oferece incentivos econômicos e políticos caso Teerã abra mão de seu enriquecimento de urânio - que serve para produzir energia elétrica, mas também pode criar armas nucleares. A oferta acordada na sexta-feira passada, em Viena, pelos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança - EUA, Rússia, França, Inglaterra e China - mais a Alemanha ainda contém a ameaça implícita de sanções da ONU ao Irã caso o país continue desafiante.Política de ameaçasO presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad, normalmente um crítico voraz dos EUA e que insiste que o Irã tem o direito de enriquecer urânio, disse no final de semana que um atalho nas negociações seria possível e deu as boas-vindas à oferta dos EUA de se juntar às negociações.Porém, as ameaças feitas pelo supremo líder iraniano, o Aiatolá Ali Khamenei, de interromper o suprimento de petróleo mundial caso Teerã seja punido devido ao seu programa nuclear, reflete o nervosismo de Teerã. Khamenei afirmou, no final de semana, que os Estados Unidos e seus aliados são incapazes de proteger os petroleiros que passam pelo Golfo Persigo através do estratégico Estreito de Ormuz em direção ao Oceano Índico. Ainda que outras lideranças iranianas repetidamente tenham usado o petróleo como arma, seus comentários fizeram com que o preço do barril subisse para US$ 73 nesta segunda-feira. O país é o quarto maior exportador de petróleo do mundo e o segundo maior produtor da Opep.Em Washington, o porta-voz da Casa Branca Tony Snow pediu a repórteres que evitassem tecer julgamentos às observações de Khamenei até que o Irã tenha uma chance de decidir sobre o pacote de incentivos."Deixe as pessoas cuidarem disso", ele disse. "Entendo por que o mercado de commodities possa estar indeciso por um comentário como esse, mas, com o tempo, se isso obtiver sucesso, os mercados de commodities ficarão muito felizes, e nós todos também deveremos ficar."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.