Solana espera resposta de Teerã em poucas semanas

O alto representante de Política Externa e Segurança da União Européia, Javier Solana, espera a resposta de Teerã à oferta internacional para solucionar a questão nuclear iraniana "em poucas semanas"."Estou à espera que alguém me telefone e dê uma resposta à oferta que apresentei ontem (terça-feira) em Teerã", declarou Solana, ao final da visita que fez ao quartel-general da missão da UE na República Democrática do Congo, na cidade alemã de Postdam.Solana declarou que a proposta apresentada não estipula prazos. "Entendo que o Irã necessitará refletir, esclarecer e analisar a proposta e eu não posso dizer o tempo que será necessário para isso".Mesmo admitindo que o governo iraniano necessita de um prazo, o Alto Representante disse que este tempo é "relativamente curto e isso não significa meses, mas semanas, poucas semanas".Solana não descartou uma segunda visita ao Irã para esclarecer eventuais dúvidas que o governo de Teerã possa ter, mas admitiu que uma visita de "alguém de Teerã a Bruxelas ou um encontro em alguma capital européia" também seja possível.O Alto Representante da UE não quis detalhar o conteúdo da proposta apresentada nesta terça-feira, que qualificou de "muito sólida e detalhada", pois considera importante que Teerã reflita e analise sem sofrer pressão da mídia.Para evitar que os veículos de imprensa pressionem o governo de Teerã, Solana não confirmou uma informação publicada nesta quarta-feira no jornal The Washington Post, que afirma a possibilidade de o Irã manter seu programa de enriquecimento de urânio no território do país."Não vou revelar publicamente os detalhes da oferta. O que for acontecer ao final do processo de negociação será de conhecimento de todos em breve", afirmou.O que foi pedido nessa oferta, acrescentou, é que o Irã suspenda seu programa de enriquecimento de urânio para que as negociações possam começar e que não haja atividades durante este período.Solana reiterou que a comunidade internacional reconhece publicamente o direito do Irã ao uso civil da energia nuclear seguindo as normas do Tratado de Não-Proliferação Nuclear.O Alto Representante afirma continuar muito otimista em relação à resposta que será dada por Teerã, mas admite que "a situação é muito complicada e o tema, difícil"."Em todo caso, hoje me sinto muito mais otimista sobre a solução do caso do que há um mês", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.