Solana parabeniza Abbas pelo cessar-fogo com Israel

O alto representante para Política Externa e Segurança da União Européia (UE), Javier Solana, manifestou neste sábado seu apoio ao presidente palestino, Mahmoud Abbas, e responsabilizou o movimento islâmico Hamas pelo fracasso na criação de um governo de união para a Autoridade Nacional Palestina (ANP).Solana, em entrevista coletiva concedida ao lado dos ministros do Exterior da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, e da Áustria, Ursula Plassink, congratulou Abbas pela concretização, há uma semana, de um cessar-fogo com Israel. "Mas, para ser honesto, se perdeu a oportunidade de pôr fim ao boicote imposto pela UE ao governo liderado pelo primeiro-ministro Ismail Haniyeh, do Hamas", afirmou.Abbas anunciou na quinta-feira retrasada o fim das negociações com Haniyeh para a formação de um novo governo de união, que colocaria fim ao boicote econômico da comunidade internacional.Solana disse aos jornalistas que a UE não tem contatos com o Hamas, que rejeita três exigências impostas, dentre as quais a de desarmar a sua milícia e reconhecer a existência do Estado de Israel, uma condição considerada fundamental para a retomada do processo de paz na região. "Infelizmente, o Hamas não aceitou a posição da União Européia, para impulsionar as agora estagnadas negociações de paz", disse Solana. A UE é a principal doadora de fundos para a ANP e interrompeu as transferências com a chegada ao poder do Hamas, em março. Steinmeier e Plassink também parabenizaram Abbas pelo cessar-fogo.Após a ruptura com o primeiro-ministro Haniyeh, Abbas pode destituí-lo e antecipar as eleições nacionais em Cisjordânia, Gaza e Jerusalém Oriental para a formação de um novo governo, que adote as exigências necessárias para suspender o boicote econômico.O Comitê Executivo da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), presidido por Abbas, pediu na sexta-feira a renúncia de Haniyeh, o que é interpretado pelo Hamas como uma tentativa de "golpe de estado" e um "ataque à democracia palestina". O movimento fundamentalista chegou ao poder após vencer as eleições legislativas de janeiro, derrotando os candidatos do movimento nacionalista Fatah.Os diplomatas europeus chegaram hoje a Gaza, após a reunião de Abbas com a secretária de Estado dos Estados Unidos, Condoleezza Rice, na Cisjordânia, na quinta-feira. Rice também lhe manifestou o amplo apoio de Washington, que participa do boicote contra o Hamas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.