Reprodução Facebook
Reprodução Facebook

Pelo menos 20 pessoas são mortas em ataque a tiros na Tailândia

Jakrapanth Thomma fez transmissão do ataque em suas redes sociais, onde diz em vídeo: 'Já estou cansado de apertar o gatilho'

João Ker, O Estado de S.Paulo

08 de fevereiro de 2020 | 10h22
Atualizado 08 de fevereiro de 2020 | 19h47

Um soldado matou pelo menos 20 pessoas em um tiroteio no nordeste da Tailândia, neste sábado, 8, postou mensagens no Facebook durante o ataque, e ficou escondido em um shopping nove horas após o ataque, disseram autoridades.

"O homem usou uma metralhadora e disparou contra vítimas inocentes, o que deixou muitos mortos e feridos", disse um porta-voz da polícia à AFP. Ainda de acordo com agentes locais, ele teria assassinado seu comandante e dois colegas de trabalho, antes de roubar um veículo e começar o ataque a tiros.

A polícia e os soldados invadiram o shopping Terminal 21 na cidade de Nakhon Ratchasima, a cerca de 250 km da capital Bangcoc, e ajudaram centenas de pessoas a escapar, mas o atirador ainda estava solto no interior, disse à Reuters o porta-voz do Ministério da Defesa, Kongcheep Tantrawanit.

O soldado abriu fogo em vários lugares, incluindo uma casa e uma base militar, antes de seguir para o shopping, informou a polícia.

A mídia local mostrou imagens do soldado saindo de um carro em frente ao shopping e disparando uma série de tiros, enviando pessoas fugindo para se esconder.

"Não sabemos por que ele fez isso. Parece que ele ficou louco", disse Kongcheep.

Um vídeo de um espectador mostrou um homem caído ao volante de um carro em uma poça de sangue. Não estava claro se ele estava entre os mortos. Outro vídeo mostrou pelo menos quatro pessoas que foram claramente baleadas e não mostraram sinais de movimento.

Imagens de CCTV de dentro do shopping postadas nas redes sociais mostraram o atirador vestido de preto e usando uma máscara, a arma pendurada no ombro, sem sinal de outras pessoas por perto.

Kongcheep disse que pelo menos 20 pessoas foram mortas e não ficou claro se o atirador fez reféns no shopping. "Não se sabe quantos ainda estão lá dentro", disse ele.

A polícia identificou o suspeito como Jakrapanth Thomma. Durante o ataque, ele postou "A morte é inevitável para todos" em sua página no Facebook e depois perguntou "Devo desistir?"

Em suas redes, ele teria compartilhado em tempo real vídeos e fotos durante o tiroteio, comentando em um deles: “Estou cansado de apertar o gatilho”. 

Nas redes sociais, circulam imagens de pânico em um shopping enquanto é possível ver a polícia cercando o entorno do local e outras pessoas correndo com barulho de tiros ao fundo.

A Tailândia é um dos países com maior percentual de pessoas com posse de armas do mundo, mas esse tipo de incidente, cometido por militares contra civis, é muito raro.  / COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.