Soldado afegão atira em comboio e mata soldado romeno

Um ataque contra um comboio das forças de coalizão no sul do Afeganistão que causou a morte de um militar romeno e deixou outro ferido foi promovido por um soldado afegão que abriu fogo em um posto de fiscalizão do Exército e depois fugiu, informou nesta quarta-feira o general Said Mohammad, um comandante das forças afegãs em Cabul. De acordo com ele, o soldado afegão agiu sozinho no ataque de ontem. Não houve envolvimento de insurgentes ligados ao Taleban ou à Al-Qaeda no ataque aos romenos, garantiu. Entretanto, o mulá Abdullah Zabulwal, um porta-voz do Taleban, reivindicou para o grupo a autoria deste ataque e da explosão de um carro-bomba que explodiu ontem em frente a dois escritórios da Organização das Nações Unidas (ONU) em Kandahar. Zabulwal, que conversou com a The Associated Press por telefone, não falou sobre o soldado afegão aparentemente envolvido no ataque aos romenos. De acordo com ele, os militantes do Taleban que promoveram os dois ataques retornaram em segurança para seus esconderijos. "Nós alertamos aos afegãos para que não trabalhem para agências humanitárias ocidentais ou da ONU porque todas estão espionando para os Estados Unidos", Zabulwal. O Ministério da Defesa da Romênia confirmou ontem a morte de um militar de suas forças em um ataque no sul do Afeganistão, mas não divulgou detalhes sobre o incidente. A Romênia possui 450 soldados em solo afegão. Nesta quarta-feira, autoridades afegãs detiveram cinco pessoas para interrogatório no âmbito das investigações sobre a explosão ocorrida ontem em frente a dois escritórios da ONU em Kandahar. Os detidos são dois policiais, dois seguranças afegãos que trabalhavam para a ONU e um homem que mora no bairro onde ocorreu a explosão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.