Soldado americano é punido por casar-se com iraquiana

O sargento americano Sean Blackwell, de 27 anos, será desligado da Guarda Nacional da Flórida por ter abandonado por alguns minutos uma patrulha em Bagdá, a fim de casar-se em 17 de agosto com uma iraquiana, informou seu advogado, Richard Alvoid. Depois do casamento, o Exército não permitiu mais que Blackwell se encontrasse com a mulher e apenas recentemente autorizou contatos telefônicos entre os dois.Blackwell recebeu primeiro uma reprimenda por escrito, por ter divulgado o horário e a localização de sua patrulha para a noiva e o juiz que realizou a cerimônia. "Quanto mais eles o punirem, mais publicidade negativa os militares provavelmente vão receber. Ele é culpado por ter-se apaixonado", disse Alvoid. A mãe do sargento, Vickie McKee, disse que o filho lhe falou que poderá ser desligado e enviado de volta para casa por volta do Natal.O porta-voz da corporação, coronel Ron Title, disse não ter informações sobre ações disciplinares contra Blackwell ou contra um outro guarda, o cabo Bret Dagen, de 37 anos, que também se casou com uma iraquiana na mesma patrulha.Os dois militares, da 1ª Divisão Blindada, estão no Iraque desde abril, eram cristãos e se converteram ao islamismo para se casar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.