Soldado da Otan é morto a tiros no sul do Afeganistão

Um homem armado, possivelmente um guarda de segurança privada, atirou e matou um soldado da coalizão militar liderada pelos Estados Unidos no sul do Afeganistão, informou neste sábado a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) por meio de comunicado, sem revelar se o atirador era estrangeiro ou afegão. "A cena do incidente está segura e o suspeito foi morto", disse a Otan, acrescentando que "as autoridades afegãs estão investigando o caso e mais informações serão divulgadas quando apropriado".

AE, Agência Estado

05 de outubro de 2013 | 10h02

Os perímetros de muitas instalações da Otan, embaixadas e outras organizações internacionais são vigiados por guardas afegãos contratados por uma agência do governo que fornece tais serviços. A segurança interna de vários desses lugares é feita por funcionários contratados por corporações multinacionais.

Houve um aumento no número de "ataques internos" por afegãos uniformizados contra soldados estrangeiros e civis no ano passado. Em alguns casos, militantes vestiram uniformes do exército ou da polícia para atacar as tropas estrangeiras, mas parte dos atentados foi obra de membros da forças de segurança do Afeganistão.

A Otan informou, ainda, que um outro solado morreu de ferimentos não decorrentes do confronto no sul do país. As duas mortes elevam para 128 o total de membros da coalizão mortos até agora em 2013, sendo 98 deles de origem norte-americana. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
AFEGANISTÃOOTANATAQUE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.