Soldado dos EUA pega 27 meses de prisão em caso de estupro

Um soldado norte-americano que se declarou culpado pela participação no estupro de uma menina iraquiana de 14 anos e na morte de sua família foi sentenciado a 27 meses de prisão, informaram autoridades do Forte Campbell em Kentucky na quarta-feira.O soldado Bryan Howard, de 20 anos, também foi exonerado por ofensa grave depois de entrar com um acordo de objeção em sua corte marcial, informou um comunicado.Ele afirmou ser culpado de conspiração para obstruir a Justiça e de participar de maneira indireta do crime. As acusações de assassinato e estupro foram retiradas contra Howard pelo governo, baseado em seu papel limitado nos crimes, diz o anúncio.Numa audiência no Iraque no ano passado, provas indicaram que Howard estava em uma localidade próxima, mas não participou do crime.No mês passado, o Sargento Paul Cortez, de 24 anos, foi sentenciado a 100 anos de prisão em um acordo que chegou com os promotores no mesmo caso, mas ele poderá entrar com pedido de condicional em 10 anos.O incidente aconteceu depois que um grupo de soldados bebeu uísque, jogou cartas e planejou atacar uma família em Mahmudiya, ao sul de Bagdá, em março de 2006. Alguns dos envolvidos jogaram querosene no corpo da menina e atearam fogo nela na tentativa de encobrir o crime.

Agencia Estado,

22 de março de 2007 | 12h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.