Soldado dos EUA pega 35 anos por matar 4 iraquianos

Um segundo soldado norte-americano foi condenado hoje pelo homicídio de quatro detentos iraquianos em 2007. O sargento Joseph Mayo, de 27 anos, foi sentenciado a 35 anos de prisão após admitir sua culpa perante a corte. Ele declarou-se culpado por homicídio premeditado e conspiração. O julgamento ocorreu em um tribunal norte-americano em uma base no sul da Alemanha. Os quatro iraquianos foram executados com tiros da cabeça perto de um canal em Bagdá, entre março e abril de 2007.

AE-AP, Agencia Estado

30 de março de 2009 | 14h37

Em fevereiro, uma corte militar condenou o sargento Michael Leahy, de 28 anos, à prisão perpétua após confessar que matou um dos detentos e atirou em outro. De acordo com testemunhas de julgamentos anteriores, pelo menos quatro iraquianos foram detidos sob suspeita de envolvimento em troca de tiros com uma patrulha. Eles foram levados para interrogatório em uma base dos EUA em Bagdá. Não havia provas de que eles estivessem envolvidos no incidente. Membros de uma patrulha que trabalhava à noite os levaram para um local ermo, onde houve as execuções. Mayo, Leahy e o sargento John Hatley, de 40 anos, são acusados de realizar os disparos.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAIraquecondenaçãosoldado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.