Soldado dos EUA se desculpa por mortes no Afeganistão

O soldado norte-americano que matou 16 civis em uma vila no Afeganistão pediu desculpas por seu "ato de covardia", na audiência para ouvir sua sentença. O sargento Robert Bales disse nesta quinta-feira que estava agindo "com a máscara do medo e da bravata" quando entrou no local durante a noite em missão e matou moradores da vila.

AE, Agência Estado

22 de agosto de 2013 | 16h29

Bales, 39 anos, se declarou culpado em junho em um acordo para evitar a pena de morte pelos ataques ocorridos em 11 de março de 2012. O júri está agora avaliando se cabe liberdade condicional em sua sentença de prisão perpétua. Bales diz que ele está triste consigo mesmo pela raiva sentida, por beber muito e por esconder seus problemas.

Tudo o que sabemos sobre:
EUASOLDADOSENTENÇA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.