Soldado e militante morrem na fronteira de Gaza

Um militante palestino entrou em território israelense na manhã desta sexta-feira e abriu fogo contra soldados de Israel, matando um deles. As tropas responderam aos tiros e mataram o invasor na fronteira com a Faixa de Gaza, local que estava relativamente calmo desde março.

AE, Agência Estado

01 de junho de 2012 | 10h11

Os disparos tiveram início depois que o militante ultrapassou a cerca que separa Gaza do sul de Israel. O militante começou a disparar e os soldados revidaram, disse o coronel Tal Hermoni. "As forças agiram rapidamente e evitaram um ataque maior contra civis da região", disse Hermoni à rádio o Exército.

Posteriormente, o Exército israelense informou que dois foguetes caíram no sul de Israel, sem causar danos ou ferimentos. A autoridade de saúde de Gaza, Adham Abu Salmia, disse que três pessoas ficaram seriamente feridas após um ataque aéreo contra o veículo onde estavam.

Nenhum grupo assumiu a responsabilidade pela ação do militante, mas numa mensagem de texto enviada aos jornalistas, um grupo de Gaza, a Jihad Islâmica, saudou o ataque. O grupo identificou o militante como Ahmad Nassar e disse que ele foi "um mártir que realizou um ataque heroico".

Em comunicado, o Exército disse que considera o Hamas "solenemente responsável" pela ação. Os militares identificaram o soldado morto como o sargento Nitnel Moshiashvili, de 21 anos.

O último episódio de violência na fronteira havia ocorrido em março, quando Israel matou um líder militante, dando início a quadro dias de disparos de foguetes palestinos e ataques aéreos israelenses. Vinte e quatro palestinos morreram. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
IsraelpalestinosGazaconfronto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.