Soldado israelense é assassinado

Um soldado israelense foi morto nesta terça-feira em um ataque liderado por palestinos, no assentamento de Itamar, informaram as forças de segurança de Israel. O soldado foi baleado várias vezes e, próximo ao local do crime foram encontrados cartuchos de rifle. As forças de segurança já estão realizando uma busca aos assassinos.Acredita-se que a morte do guarda israelense é uma resposta à morte de uma menina palestina de apenas quatro meses. Tanques israelenses bombardearam ontem um campo de refugiados, matando a bebê Iman Hijo - a mais jovem vítima do atual derramamento de sangue no Oriente Médio.A mãe da menina, de 19 anos, sua avó e três outras crianças da família foram também seriamente feridas por estilhaços quando uma bomba caiu no pequeno quintal da casa de tijolos de concreto no campo de refugiados de Khan Yunis, na Faixa de Gaza, disseram parentes.Outro integrante da família, Mahmoud Hijo, de 18 meses, estavam no centro de tratamento intensivo com ferimentos de estilhaços, disseram médicos. Ao todo, 24 palestinos foram feridos, entre eles 10 crianças, no campo de Gaza, segundo médicos palestinos. Também, um policial palestino foi morto em confrontos na Cisjordânia, disseram palestinos.A Autoridade Palestina pediu à comunidade internacional ajuda para acabar com "a escalada militar de Israel", de acordo com uma nota publicada pela agência oficial de notícias palestina, WAFA.O primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, afirmou lamentar a morte de Iman, e disse que suas tropas não tiveram intenção de ferir crianças. "Crianças e bebês não deveriam estar envolvidos nesta terrível guerra que gostaríamos que um dia terminasse", afirmou Sharon.Mas o primeiro-ministro, abrindo a sessão de verão (boreal) do Parlamento, enfatizou que Israel irá responder duramente a ataques palestinos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.