Soldado paquistanês morre após conflito na Caxemira

Os governos do Paquistão e da Índia trocaram acusações neste domingo em relação à violação do cessar-fogo na disputa pela região da Caxemira. Islamabad acusa as tropas indianas de terem ultrapassado a fronteira em conflito que matou um de seus soldados e a índia acusa o Paquistão de ter destruído em bombardeiro uma casa em seu território.

PATRÍCIA BRAGA, Agência Estado

06 de janeiro de 2013 | 10h56

A acusação de ultrapassar a fronteira resultando em mortes de militares é incomum na Caxemira, onde o cessar-fogo entre os dois rivais já dura uma década. Tensões relacionadas com a disputa na região nunca foram muito longe, ainda que os dois países não tenham desistido do território.

Nos últimos meses, a tentativa de aproximação entre o Paquistão e a Índia diminuiu, o que pode ter desencadeado os ataques na fronteira. Apenas no último mês, os dois países anunciaram um novo regime de visto para os viajantes que precisam atravessar a fronteira e adotaram também novas ações para facilitar o comércio. Nenhuma dessas ações seria possível sem o suporte do poder militar no Paquistão.

Os acontecimentos mostram que as tensões enfraqueceram com o acordo feito após os ataques terroristas ocorridos em Mumbai em 2008, no qual 10 terroristas paquistaneses mataram 166 pessoas. A Índia alegou que os terroristas tinham ligações com oficiais da inteligência paquistanesa, as quais Islamabad negou. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoviolênciaCaxemira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.