Soldado pede desculpas após ser flagrado com empregada carregando mochila

Foto publicada por jornal gerou polêmica sobre uma possível falta de rigidez no treinamento militar em Cingapura.

BBC Brasil, BBC

06 de abril de 2011 | 04h33

A foto polêmica mostra o soldado seguido por uma empregada que carrega sua mochila militar

Um soldado cingalês que foi fotografado com uma empregada carregando sua mochila se identificou a seu comandante e pediu desculpas por sua conduta, de acordo com o Ministério da Defesa do país.

Em carta publicada pelo jornal The Strait Times, o diretor de Relações Públicas do Ministério, coronel Desmond Tan, disse que o soldado em questão, que estava passando por um treinamento físico antes de começar o curso militar básico com nove semanas de duração, está "arrependido".

"O recruta está arrependido de suas ações e percebe que foi errado de sua parte permitir isso", disse o coronel Tan.

"Ele recebeu aconselhamento e continua seu treinamento. As Forças Armadas de Cingapura relembraram todos os seus militares de que eles devem ser cuidadosos com sua conduta em público."

Polêmica

A fotografia que causou polêmica no país mostra o soldado de uniforme caminhando, seguido por sua empregada que carrega sua mochila militar nas costas.

A imagem foi publicada inicialmente no portal online do jornal The Strait Times e logo começou a aparecer em sites de relacionamento na internet.

Cingapura tem serviço militar obrigatório. Todo cidadão ou residente do sexo masculino acima de 18 anos precisa fazer dois anos de treinamento militar, a não ser que tenha problemas físicos.

A publicação da fotografia do soldado gerou um grande debate no país sobre a existência de uma geração de jovens soldados considerados mimados no Exército cingalês.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.