Soldado que estuprou iraquiana é condenado à prisão

James Barker, soldado americano que se declarou culpado de estuprar uma menina de 14 anos e de assassinar os membros de sua família no Iraque, foi condenado nesta quinta-feira à prisão perpétua. Os crimes aconteceram em março de 2006 na localidade de Mahmudiya. Barker, um dos quatro militares acusados de estupro e dos assassinatos realizados em março deste ano, se declarou culpado 24 horas antes do fim do julgamento para fugir de uma possível pena de morte. O soldado aceitou também testemunhar contra os outros três acusados. Em virtude deste acordo, Barker não cumprirá mais de 90 anos de prisão e tem a possibilidade de pedir liberdade condicional, revelou o coronel Richard Anderson, que presidiu a corte marcial contra Barker em Fort Campbell (Kentucky). "Esta corte o sentencia a ser confinado para o resto de sua vida, com a possibilidade de obter a liberdade condicional", disse Anderson ao emitir o veredicto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.