Soldados americanos sofrem atentados em Bagdá

Dois soldados americanos foram assassinados em ações separadas nesta quinta-feira em Bagdá, informaram fontes militares. Pelo menos um deles foi morto num ousado ataque à luz do dia. Também hoje, um soldado americano ficou ferido quando um veículo militar passou sobre um explosivo numa parte da cidade supostamente livre de minas terrestres. No ataque mais ousado, um iraquiano armado caminhou até um soldado numa ponte e abriu fogo contra ele com uma pistola, aparentemente à queima-roupa, segundo oficiais do Exército em Bagdá que ouviram relatos sobre o incidente. De acordo com os militares, o soldado morto, cuja identidade não foi revelada, pertencia ao 2º Regimento de Cavalaria Blindada. Até a noite desta quinta-feira, pelo horário local, os pedidos para que o responsável pelas relações públicas do regimento conversasse com a Associated Press não haviam sido atendidos.Não há mais informações disponíveis e não se sabe o que aconteceu com o assassino do soldado. O informe dos oficiais do Exército na capital iraquiana não foi confirmado pelo Comando Central dos Estados Unidos em Doha, Catar. As forças americanas dizem que tiroteios com iraquianos armados ocorrem quase diariamente. Apesar disso, incidentes como o da ponte são raros.Num incidente separado, um soldado da 3ª Divisão de Infantaria do Exército dos EUA foi morto hoje quando um pistoleiro o baleou na cabeça na zona leste de Bagdá, informou o capitão Tom Byant, porta-voz do 5º Corpo do Exército, estabelecido no aeroporto de Bagdá. Ele não fez mais comentários.Ainda nesta quinta-feira, um veículo militar americano atingiu uma "provável mina terrestre" nas proximidades do aeroporto de Bagdá, disse Bryant. Os detalhes disponíveis são poucos, mas pelo menos um soldado americano ficou ferido no incidente.Em Bayji, norte do Iraque, um comboio da 4ª Divisão de Infantaria dos EUA foi atacado por rebeldes. Os soldados americanos atacaram as posições rebeldes, capturaram cinco pessoas e apreenderam armas, informou o Comando Central. Nenhum soldado americano ficou ferido.Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.