Soldados britânicos esperam meses por tratamento, diz jornal

Soldados britânicos que desenvolveram transtornos psicológicos após servir no Iraque e no Afeganistão têm que esperar pelo menos 18 meses para receber tratamento do Estado britânico, revelou neste domingo, 11, o jornal The Sunday Times.Segundo números do Ministério da Defesa publicados pelo tablóide, 2.123 militares foram tratados com problemas psicológicos relacionados a seu serviço no Iraque desde o início da invasão, em 2003.Mais de 320 receberam tratamento por estresse pós-traumático. Muitos outros sofrem de ansiedade, depressão e outros transtornos mentais.No entanto, outro dominical, o The Independent on Sunday, informou que mais de 21.000 reservistas e militares que serviram no Iraque desenvolveram problemas de ansiedade e depressão.A ONG Combat Stress, que atende veteranos com estresse pós-traumático, advertiu que detectou um aumento anual de 26% no número de casos atendidos.Em carta aberta ao primeiro-ministro Tony Blair publicada no The Independent on Sunday, políticos, representantes renomados do mundo da cultura e familiares dos soldados mortos pedem ao líder trabalhista que garanta o tratamento que os jovens que arriscam sua vida pelo Reino Unido merecem."Muitos estão desesperadamente doentes, sem trabalho, sem casa e, inclusive, tentaram se suicidar", denuncia a carta, assinada por personalidades como o Nobel Harold Pinter e a ativista dos direitos humanos Bianca Jagger.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.