Soldados da Al-Qaeda vão se entregar, diz comandante

Uma aeronave B-52 bombardeou a região de Tora Bora, no Afeganistão, nesta quarta-feira, procurando acertar soldados da Al-Qaeda, rede terrorista liderada por Osama bin Laden. A presença de jornalistas na região foi proibida, mas também era possível ouvir o som de tiros vindos daquela área.Depois do ataque, Mohammed Lal, um comandante afegão, disse à Associated Press que a rendição sofreu um atraso, porém deve ocorrer ainda hoje. "Eles estão sem tempo. Mas eles concordaram em descer das montanhas em grupos de 20 e 40 homens", afirmou Lal. Ele disse que os guerreiros da Al-Qaeda vão entrgar suas armas e serão levados para um outro local, onde serão revistados. Depois, caminhões vão levá-los a um posto de comando no vilarejo de Agom, a cerca de 5 quilômetros ao sudeste, onde eles serão presos.A aliança de guerreiros afegãos que expulsou os combatentes da Al-Qaeda da rede de cavernas e túneis de Tora Bora deu até as 8 horas de hoje (1h30, pelo horário de verão em Brasília) para que os árabes entregassem suas armas e deixassem a região, caso contrário sofreriam um intenso ataque. Aparentemente, os integrantes da Al-Qaeda ignoraram o prazo para a rendição. Cerca de 30 minutos depois de o prazo ter se encerrado, o comandante afegão Mohammed Zaman disse: "Nenhum árabe saiu, ainda". Ele confirmou que militares americanos estavam realizando operações na área. Por isso, aviões americanos mantiveram a pressão e bombardearam o local antes do amanhecer desta quarta-feira. Ainda não está claro se o milionário saudita Osama bin Laden está entre os combatentes estrangeiros que foram encurralados nas montanhas de Tora Bora na terça-feira, depois de um intenso confronto com forças tribais afegãs.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.