Jerome Delay/AP
Jerome Delay/AP

Soldados da França combatem militantes em Gao, no Mali

Ministro da Defesa francês diz que centenas de extremistas morreram e armas foram destruídas

AE, Agência Estado

06 de fevereiro de 2013 | 10h25

GAO - As tropas francesas entraram em confronto com extremistas islamitas que estavam acionando lançadores de foguetes fora da cidade de Gao, no norte do Mali, afirmou o ministro da Defesa da França, Jean-Yves Le Drian, nesta quarta-feira, 6.

O ministro afirmou que "várias centenas" de combatentes jihadistas morreram e houve "grande destruição" de armas, fornecendo a primeira indicação do tamanho do combate em uma entrevista à TV BFM. "É uma guerra real, quando nós nos dirigimos para fora do centro das cidades que foram tomadas, nós encontramos jihadistas remanescentes", disse Le Drian em outra entrevista à rádio Europa-1.

Gao está sendo controlada por forças comandadas pela França desde o fim de janeiro, e os confrontos da terça-feira destacam as complicações para a intervenção.

O ministro disse que aviões franceses continuam a realizar ataques aéreos toda noite contra supostos depósitos de armas e locais de fabricação de minas dos militantes. No terreno, as tropas encontraram material de guerra, armas manuais e laboratórios improvisados para fazer dispositivos explosivos improvisados, como bombas de beira de estrada. "Nós descobrimos preparações para um verdadeiro santuário terrorista", destacou.

Com 4 mil soldados no Mali, a França atingiu atualmente o tamanho máximo de sua presença militar no país do Oeste da África e poderá começar a reduzir os números nas próximas semanas, disse Le Drian à rádio Europa-1. "A transferência progressiva da presença militar francesa para uma presença militar africana poderá ocorrer relativamente rápido e dentro de algumas semanas nós poderemos começar a diminuir nossa presença", ressaltou. Ele acrescentou que há também 4 mil soldados africanos no país.

As perdas entre os militantes que a França está combatendo foram "significantes", disse o ministro. Perguntado se grupos étnicos Tuareg no norte do Mali estão cooperando com as forças francesas, Le Drian respondeu que eles estavam "se comportando de uma maneira inteligente."

As informações são da Associated Press e da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
MaliFrançaintervenção militarGao

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.