Soldados da ONU encontram 16 corpos na capital do Haiti

Soldados das tropas de pacificação da ONU encontraram nesta sexta-feira os corpos de 16 pessoas em Porto Príncipe, capital do Haiti. Os cadáveres são aparentemente o resultado de um conflito entre gangues. Depois de meses de calma, a descoberta dos corpos é o sinal mais recente de que a violência pode voltar à acometer a capital. Soldados do Sri Lanka encontraram os corpos na manhã desta sexta-feira na favela de Martissant, informa um comunicado da ONU. Martissant foi o cenário de um recente confronto entre gangues rivais. As vítimas aparentemente foram mortas durante um longo tiroteio entre membros de gangues haitianas que lutam pelo controle da área, disse o ativista de direitos humanos Pierre Espérance."As pessoas que morreram eram civis, não membros de gangues", disse Espérance, cujo grupo Coalizão Nacional para os Direitos Humanos monitora atividades de gangues na favela. As forças de paz da ONU, lideradas pelo Brasil, intensificaram as patrulhas na região em que os corpos foram encontrados. Muitos moradores deixaram a área por medo de novos ataques, afirmou uma emissora de rádio local. "As forças militares atualmente controlam a aérea onde os incidentes ocorreram e aumentaram suas patrulhas para proteger a população e impedir mais atos de violência", prossegue o comunicado da ONU. Os corpos são as descobertas mais recentes em uma série de assassinatos e seqüestros ocorridos na capital haitiana nas semanas que sucederam a posse do presidente René Préval, em junho. Membros das forças de paz não informaram se acreditam que as mortes tem ligação política.A recente violência intensificou o temor de uma retomada do massacre que sucedeu a revolta em 2004 na qual o presidente Jean-Bertrand Aristide foi derrubado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.