Soldados das duas Coréias trocam tiros em região fronteiriça

Segundo agência local, guardas norte-coreanos começaram a disparar contra local de vigilância dos sul-coreanos

Efe e Reuters,

06 de agosto de 2007 | 06h47

Guardas fronteiriços das duas Coréias trocaram tiros nesta segunda-feira, 6, na zona desmilitarizada que separa os dois países sem que se produzissem vítimas, informou o Estado-Maior Conjunto sul-coreano citado pela agência local Yonhap.   O incidente aconteceu às 13h30 (2h30 de Brasília) na zona desmilitarizada da província de Gangwon, quando os guardas norte-coreanos começaram a disparar contra o local de vigilância dos militares sul-coreanos, de acordo com essa fonte.   De acordo com o responsável do Estado-Maior Conjunto, após vários disparos dos norte-coreanos se formou um vento de fumaça e pó a cerca de 100 metros de um posto de vigilância sul-coreano, e os soldados desse país responderam com dez disparos de advertência.   Segundo as mesmas fontes, Seul exigiu desculpas a Pyongyang, embora até agora não tenha acontecido nenhuma reação por parte do regime comunista norte-coreano.   Os disparos aconteceram um dia antes do início de conversações entre potências regionais, incluindo as duas Coréias. As conversas são parte de um esforço internacional mais amplo para convencer a Coréia do Norte a abandonar seu programa de armas nucleares em troca de ajuda.   Um analista especulou que o incidente poderia ter ligação com tensões internas dentro das forças militares da Coréia do Norte, no momento em que Pyongyang toma medidas para desmontar seu programa nuclear."Os militares do Norte provavelmente viram que havia consternação na instituição e sentiram a necessidade de criar tensão", afirmou Baek Seung-joo.   Também não está confirmado ainda se foi uma provocação ou um acidente. Um responsável militar citado pela Yonhap não descartou a possibilidade de uma provocação para aumentar intencionalmente a tensão na península.   O último caso similar ocorreu em 31 de julho de 2006, quando um soldado norte-coreano realizou dois disparos em direção a um posto de guarda da Coréia do Sul e os soldados sul-coreanos responderam com seis disparos. Este incidente também não deixou feridos.   Matéria ampliada às 07h50.

Tudo o que sabemos sobre:
Coréiastroca de tirosfronteira

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.