Soldados de Camboja e Tailândia trocam tiros em fronteira

Países do sudeste asiático disputam área próxima às ruínas do milenar templo de Preah Vihear

Efe

15 de outubro de 2008 | 09h03

Soldados do Camboja e da Tailândia trocaram tiros hoje na região fronteiriça que os dois países disputam nas proximidades das ruínas do milenar templo de Preah Vihear, informaram fontes militares cambojanas. Segundo um comandante citado por uma emissora local, o Exército cambojano assegurou que a Tailândia desdobrou cerca de 50 tropas na floresta, a dois quilômetros do templo religioso.Após o enfrentamento, que durou cerca de 25 minutos, o governo da Tailândia pediu a seus cidadãos que abandonem o Camboja imediatamente, e informou que tinha preparado um plano de retirada. "O plano de retirada está preparado, não há necessidade de os tailandeses continuarem no Camboja, por favor, se apressem para retornar", disse o ministro de Assuntos Exteriores tailandês, Sompong Amornvivat, em entrevista coletiva. O porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores tailandês, Tharit Jarungwat, disse que o chefe da representação diplomática do Camboja em seu país foi chamado com urgência para receber uma nota de protesto pela "agressão das tropas cambojanas".O governo da Tailândia alega que seus soldados abriram fogo como resposta a um ataque do país vizinho. As autoridades tailandesas ordenaram previamente que a população civil se afaste da fronteira e se prepare para ser deslocada caso ocorra um conflito com a nação vizinha, por causa da soberania de Preah Vihear, declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco.O alerta aconteceu um dia depois de o primeiro-ministro cambojano, Hun Sen, ter dado um ultimato às tropas tailandesas para que se retirassem dos terrenos que cercam o templo, motivo de confronto entre os dois países durante os últimos 40 anos.Diante da crescente tensão, o governo tailandês solicitou a mediação da Associação de Nações do Sudeste Asiático, à qual também pertence o Camboja.A Tailândia afirma que os dois contingentes militares deveriam deixar a região ao mesmo tempo, mediante um plano de ação coordenado dirigido por um comitê bilateral.Em julho, Camboja e Tailândia desdobraram centenas de soldados dos dois lados da fronteira mais próximos ao templo, e a situação estremeceu as relações diplomáticas entre os dois governos. Há duas semanas, as hostilidades foram retomadas, quando dois soldados cambojanos pisaram em uma mina e um militar tailandês ficou ferido num posterior tiroteio.As duas nações disputam há décadas a soberania do templo do antigo império khmer, que data do século XI. Em 1962, a Corte Internacional de Justiça de Haia determinou que o terreno onde fica o templo religioso do antigo reino khmer corresponde ao Camboja, mas a Tailândia resiste a aceitar essa sentença.

Tudo o que sabemos sobre:
tailândiacamboja

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.