Soldados dos EUA confundem festa com ataque e abrem fogo

Soldados americanos que acompanhavam um comboio de 617 prisioneiros libertados de Abu Ghraib pensaram estar sob ataque e reagiram a tiros para o alto dados por iraquianos em festa. Mais de dez ônibus haviam deixado a prisão quando tiros foram disparados de prédios próximos. Fuzileiros reagiram ao fogo, mas não há informação de feridos. Esta é a terceira e maior libertação em massa de detentos do presídio desde que irrompeu o escândalo de maus tratos e torturas praticados por soldados americanos contra os iraquianos presos. Antes do incidente com os tiros, as forças americanas haviam parado o comboio na estrada. Centenas de parentes de detentos então estacionaram à frente e atrás dos ônibus, fechando a pista, e correram para os ônibus. Os avisos dos soldados para que se afastassem foram ignorados. Mesmo com o início do tiroteio, pouco depois, os iraquianos não pararam de correr para os braços de seus entes queridos, chorando e contando histórias da prisão. ?Hoje, agradeço a Alá e me alegro, pois estou livre, mas serei mais feliz quando os americanos forem embora?, disse Hassan Ali, que ficou dois meses em Abu Ghraib.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.