Soldados dos EUA mataram civis afegãos 'por esporte' denuncia 'Post'

Jornal obtém documentos que revelam grupo de militares que formou 'equipe de morte'

Reuters

19 de setembro de 2010 | 12h43

WASHINGTON - Cinco soldados dos EUA que servem na província de Kandahar, no Afeganistão, são acusados de assassinar três civis afegãos por diversão, informa neste domingo, 19, o jornal americano Washington Post.

 

Veja também:

linkAfeganistão começa apuração eleitoral entre denúncias de fraudes

 

O jornal cita documentos de acusação do Exército nos quais se diz que os efetivos de infantaria, incluindo um sargento, assassinou os civis entre janeiro e maio deste ano.

 

O Post publica informações de documentos e entrevistas de uma corte militar e de pessoas com conhecimento do caso que alegam as mortes "foram cometidas essencialmente como esporte por soldados que eram viciados em haxixe e álcool".

 

Além dos cinco, outros sete estão sendo indiciados por ofender menores. Os acusados rejeitaram negaram, por meio de seus advogados e familiares, ter cometido os crimes.

 

De acordo com os documentos obtidos pelo Post, os cinco membros do pelotão acusados de assassinato começaram a conversar sobre a criação de "uma equipe de morte" em dezembro de 2009. Eles assassinaram sua primeira vítima no dia 25 de janeiro de 2010, na aldeia de Mohammed Kalay, em Kandahar.

 

Na ocasião, eles haviam sido designados para garantir a segurança de agentes americanos e líderes tribais afegãos, que se reuniam para negociações.

 

Funcionários do Pentágono não comentaram as denúncias do Post, umas das mais graves já feitas até o momento sobre a guerra no Afeganistão, que já dura mais de 9 anos.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoPentágonodenúnciaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.