Soldados dos EUA mortos no Afeganisão já são quatro

Aumentou para três o número de soldados norte-americanos mortos no Afeganistão vítimas de uma bomba de 900 quilos, guiada por satélite e lançada de um bombardeiro B-52 norte-americano que errou o alvo, durante uma ataque a posições talebans em Kandahar, no sul do Afeganistão. Outros 20 militares norte-americanos ficaram feridos - quatro gravemente. A explosão matou também cinco combatentes pashtuns anti-Taleban que lançavam uma ofensiva por terra.Num pronunciamento feito hoje à tarde em Washington, o Pentágono deu poucos detalhes sobre as circunstâncias do incidente, limitando-se a admitir que a bomba foi lançada "num local muito próximo de onde se baseavam as forças amigas". As autoridades investigam duas hipóteses para o erro: falha humana ou defeito no sistema de orientação da bomba.Inicialmente, o Pentágono tinha informado a morte de dois de seus soldados, mas a porta-voz do Departamento de Defesa Victoria Clarke anunciou que um terceiro militar morreu quando era transportado para um hospital. Por meio do porta-voz da Casa Branca, Ari Fleischer, o presidente George W. Bush, lamentou o incidente. "Lamentamos profundamente a perda de vidas e desejamos que os feridos se recuperem completa e rapidamente", disse a mensagem presidencial.Com as baixas, sobe para quatro o número norte-americanos mortos em território afegão. O primeiro foi o agente da CIA Johnny Mike Spann, morto no dia 25 durante uma revolta carcerária num forte da Aliança do Norte perto de Mazar-i-Sharif no norte do Afeganistão.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.