Mark Wilson/AFP
Mark Wilson/AFP

Soldados dos EUA posam em foto com corpos de insurgentes afegãos

Relações já tensas entre o país e a Otan com o Afeganistão sofreram mais um golpe

18 de abril de 2012 | 13h17

CABUL - As relações já tensas entre o Afeganistão e os EUA e a Otan sofreram mais um golpe nesta quarta-feira, 18, com a publicação de fotos em um jornal norte-americano mostrando soldados dos EUA posando com os corpos mutilados de insurgentes afegãos mortos.

Altos funcionários dos EUA e o principal comandante da Otan no país, o general norte-americano John Allen, agiram rapidamente para condenar as fotos antes mesmo de serem publicadas pelo jornal Los Angeles Times, que recebeu as fotos de outro soldado. "As ações dos indivíduos fotografados não representam as políticas da Força Internacional de Assistência à Segurança ou do Exército dos EUA", disse Allen em um comunicado, acrescentando que uma investigação sobre o incidente estava em andamento.

A divulgação no site do Los Angeles Times de algumas das 18 fotos, tiradas em 2010, ocorre em um momento delicado para as relações EUA-Afeganistão, após a publicação de um vídeo em janeiro que mostrou quatro fuzileiros navais dos EUA urinando em cadáveres de insurgentes afegãos.

A queima de exemplares do Alcorão em uma base aérea da Otan também desencadeou uma semana de distúrbios que deixaram 30 mortos e levaram à morte de seis norte-americanos. Em março, um sargento do Exército norte-americano disparou contra civis em duas aldeias do sul do Afeganistão, matando 17 pessoas e levando o presidente afegão, Hamid Karzai, a exigir que soldados estrangeiros se limitem a permanecer nas bases principais.

Insurgentes do Taleban lançaram ataques suicidas em Cabul e em três outras províncias no fim de semana, alegando agir em retaliação aos três incidentes.

Corpos decepados

Em uma das foto, um paraquedista aparece próximo a uma insígnia não-oficial colocada ao lado de um corpo, com a inscrição: "Caçador de Zumbis", enquanto em outra foto soldados posaram com a polícia afegã segurando as pernas decepadas de insurgentes suicidas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.