Soldados dos EUA são acusados de matar general iraquiano

O Exército dos Estados Unidos acusou formalmente hoje quatro soldados americanos de assassinar o general Abed Hamed Mowhoush, de 57 anos, durante interrogatório. De acordo com o Exército, Mowhoush morreu asfixiado por pressão peitoral e com a ajuda de um saco de dormir colocado na sua cabeça. Os acusados, Jefferson L. Williams, Lewis E. Welshofer, William J. Sommer e Jerry L. Loper, poderão ser condenados à pena de prisão perpétua sem direito a sursis. O Exército não entrou em detalhes sobre a exata participação dos soldados no assassinato, mas o jornal The Denver Post informou no início deste ano que Welshofer e Williams teriam participado diretamente do assassinato do general. Mowhoush, membro da antiga Guarda Republicana de Saddam Hussein, foi capturado durante uma operação de busca realizada em Qaim. À época, uma porta-voz militar disse que o general financiava ataques contra as forças dos EUA no Iraque. Todos os quatro soldados acusados estavam lotados no 3º Regimento de Cavalaria Motorizada, baseado em Fort Carson, Colorado, no momento da morte de Mowhoush. Depois de retornarem aos EUA, eles continuaram na ativa e atualmente estão em liberdade.

Agencia Estado,

04 Outubro 2004 | 17h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.