Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Al Drago/The New York Times
Al Drago/The New York Times

Soldados dos EUA sofreram concussão cerebral em ataque a base no Iraque, diz Pentágono

Informação contradiz afirmações iniciais do presidente Donald Trump de que nenhum americano havia ficado ferido

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de janeiro de 2020 | 16h58

Cerca de trinta soldados americanos sofreram lesões cerebrais traumáticas ou concussões em um recente ataque aéreo iraniano contra uma base militar no Iraque que abrigava tropas estrangeiras, informou o Pentágono nesta sexta-feira, 24. 

"No total, 34 soldados foram diagnosticados com concussões e TCE (lesão cerebral traumática)", disse o porta-voz do Pentágono Jonathan Hoffman a repórteres.

A informação contradiz as afirmações iniciais do presidente Donald Trump de que nenhum americano foi ferido no ataque à base de Ain al Asad, no oeste do Iraque. Na última quinta-feira, 16, a Marinha dos Estados Unidos já havia divulgado que ao menos 11 americanos ficaram feridos no ataque.

"Apesar de nenhum membro militar americano ter morrido no ataque iraniano de 8 de janeiro à base aérea de Al-Assad, vários foram tratados por sintomas de comoção cerebral devido às explosões e ainda estão sob avaliação", informou o porta-voz do Comando Central da Marinha, Bill Urban. 

"Nos dias posteriores ao ataque, por precaução, alguns membros do serviço foram transferidos da base aérea de Al-Assad", revelou Urban, especificando que 11 soldados passaram pelo Centro Médico Regional Landstuhl, na Alemanha, e pelo Campo de Arifjan, no Kuwait, para exames médicos.

O ataque aconteceu no dia 8 de janeiro. Mísseis balísticos disparados pelo Irã atingiram ao menos duas bases que abrigavam soldados americanos:  Ain al-Assad Irbil, na região do Curdistão iraquiano. 

Segundo a TV estatal iraniana Press TV, a Guarda Revolucionária iraniana reivindicou os ataques com mísseis terra-terra contra as bases.  “Os bravos soldados da unidade aérea da Guarda Revolucionária do Irã lançaram com sucesso um ataque com dezenas de mísseis balísticos contra a base militar de Ain al-Assad em nome do mártir general Qassim Suleimani”, dizia a mensagem, citando apenas a primeira base alvo dos ataques. No momento do ataque, a maioria dos 1.500 soldados americanos na base estavam em abrigos antiaéreos. /AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.