Soldados e desertores combatem em Homs e Damasco

Confrontos entre tropas regulares e soldados desertores se intensificaram nesta quinta-feira na Síria, principalmente nos subúrbios de Damasco e na cidade de Homs, a terceira maior do país. Um coronel do exército sírio foi morto em Homs e grupos de ativistas afirmam que, na tentativa do governo retomar bairros e subúrbios nas duas cidades, pelo menos 34 civis foram mortos, a maioria deles, 26, em Homs. Imagens da Associated Press mostraram populares e desertores do exército nas ruas de Homs, aparentemente controlando bairros inteiros da cidade. Não foi possível confirmar as informações sobre os números de mortos com fontes independentes porque o acesso da mídia internacional à Síria foi restrito.

AE, Agência Estado

26 de janeiro de 2012 | 18h52

As forças de segurança da Síria mataram 34 civis, entre eles dez crianças, em confrontos pelo país nesta quinta-feira, disse o Observatório Sírio para Direitos Humanos, baseado no Reino Unido. "O total hoje subiu para 34 civis mortos pelas forças de segurança em diversas regiões da Síria, principalmente em Homs", afirmou. Informações da agência estatal de notícias da Síria, a Sana, corroboram que houve bastante violência nesta quinta-feira em Homs. Segundo a Sana, o coronel do exército sírio Loai Mohammed al-Nuqari foi morto "por um grupo terrorista" perto de casa. A Sana também disse que "grupos terroristas" mataram quatro civis em Homs, entre eles duas mulheres. Um industrial foi assassinado em Alepo, também segundo informações do regime sírio.

O Observatório disse que soldados lançaram uma ofensiva no bairro de Karm al-Zeitoun em Homs, matando 26 civis, incluídas nove crianças, e ferindo dezenas de pessoas.

Enquanto isso, uma multidão estimada em dezenas de milhares de pessoas se reuniu no centro de Damasco em apoio ao regime do presidente Bashar Assad. Uma manifestação parecida, segundo a Sana, aconteceu em Alepo, maior cidade do país e no norte sírio.

As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.