Soldados egípcios serão julgados por série de abusos

Em uma aparente tentativa de mostrar que o Exército egípcio não está acima da lei, o general Adel Morsi, chefe da Autoridade Judiciária Militar, disse ontem que todos os soldados acusados de violações de direitos humanos serão julgados por um tribunal militar. "Estão dizendo que nenhuma ação legal foi tomada contra os que cometeram abusos em Maspero, mas eu afirmo que os casos serão analisados pela Suprema Corte Militar", disse.

O Estado de S.Paulo

21 de dezembro de 2011 | 03h02

No caso conhecido como Maspero, mais de 25 pessoas foram mortas nos confrontos que ocorreram durante uma manifestação de cristãos em 9 de outubro. Testemunhas disseram que a polícia militar usou força excessiva, disparando munição real e jogando seus veículos blindados contra a multidão. Na ocasião, o Exército defendeu-se, atribuindo a violência a "agitadores" e "elementos estrangeiros".

O general Morsi disse também que os casos de "testes forçados de virgindade" realizados nas manifestantes presas em abril também serão encaminhados para a Suprema Corte Militar. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.