Soldados israelenses fecham ruas em Belém

Soldados israelenses fecharam nesta terça-feira as ruas que levam a um disputado local sacro naperiferia de Belém, numa medida para anexar a área a Jerusalém, denunciaram testemunhas.O Exército de Israel defendeu sua ação. Segundo as forças armadas, os soldados bloquearam ruas e vielas utilizadas pelos palestinos para burlar um posto de checagem e entrar ilegalmente no Estado judeu.Em 11 de setembro último, o governo israelense decidiu incluir o local - situado na Cisjordânia e onde os judeus acreditam que esteja enterrada a matriarca bíblica Raquel - dentro de umacerca de segurança em torno de Jerusalém, a apenas 500 metros dali.Tal medida inclui a transferência do principal posto de checagem entre Belém e Jerusalém para o lado cisjordaniano da Tumba de Raquel. De acordo com testemunhas, o local foi declarado "área militar fechada", o que proíbe a presença decivis no local.Há um cemitério muçulmano nos arredores da tumba, onde antes existia uma mesquita. Os palestinos rejeitam a reivindicação israelense de soberania sobre o local, apesar de os acordos interinos de paz garantirem o livre acesso dos judeus à área.A tumba é a principal via entre as duas cidades. A anexação de fato do local a Jerusalém acarretaria a transferência de um bairro palestino e algumas lojas para o governo israelense."Todas essas medidas unilaterais violam resoluções das Nações Unidas e todos os acordos de paz", disse o prefeito de Belém,Hana Nasser, após o anúncio da decisão, em setembro. Para ele, a tumba e a área em seu entorno deveriam permanecer sob controleda Autoridade Palestina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.