Soldados mataram afegãos 'por esporte', diz jornal

Um grupo de cinco soldados norte-americanos enfrenta acusações de que mataram civis afegãos por esporte, informou hoje uma matéria do jornal The Washington Post. Citando documentos legais do Exército dos Estados Unidos e entrevistas com pessoas envolvidas, a publicação afirma que o caso implica soldados de um pelotão da 2ª divisão de infantaria da 5ª Brigada de Combate.

AE, Agência Estado

19 de setembro de 2010 | 16h50

Os soldados começaram a matar civis afegãos por diversão no inverno passado (no hemisfério norte), quando um homem afegão se aproximou deles no vilarejo de Mohammed Kalay, informou a reportagem. Quando o civil se aproximou, um soldado disse que o pelotão estava sob ataque e jogou uma granada de fragmentação no civil, disse o jornal. Então outros soldados abriram fogo e mataram o homem.

De acordo com o Post, o ataque gratuito ocorrido em 15 de janeiro deste ano foi o começo de meses de agressões a civis afegãos, que resultaram numa das mais graves acusações contra soldados norte-americanos desde a invasão do Afeganistão pelos EUA no final de 2001.

Soldados do pelotão foram acusados de desmembrarem e fotografarem os corpos dos civis que assassinaram, além de colecionarem um crânio e outros ossos humanos, disse a reportagem. O pai de um soldado afirmou que repetidamente alertou o Exército após seu filho ter lhe contado sobre o primeiro assassinato, apenas para ser repelido pelos militares, disse o Post.

Documentos militares acusam que cinco membros da unidade realizaram pelo menos três assassinatos na província de Kandahar entre janeiro e maio deste ano. Outros sete soldados dos EUA foram acusados de crimes relacionados ao caso, incluído uso de haxixe, tentativa de impedir a investigação e uma agressão conjunta a um soldado que descobriu os crimes, afirmou o Post.

Oficiais do Exército não descobriram nenhum motivo para os crimes. Uma revisão dos documentos militares e entrevistas com pessoas familiarizadas com o caso sugerem que os assassinatos foram cometidos simplesmente por esporte, por soldados que faziam uso constante de haxixe e bebidas alcoólicas, disse o Post. Os soldados negam as acusações, afirma o jornal. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.