Soldados morreram ao tentar desarmar mísseis

Um militar alemão sendo investigado pela morte de cinco soldados sob seu comando no Afeganistão teria ordenado aos homens para desarmarem dois mísseis de fabricação russa para fazê-los de souvenir, escreveu nesta quinta-feira o maior jornal da Alemanha.O Ministério da Defesa recusou-se a comentar a notíciapublicada pelo diário Bild, que citou um relatório confidencialenviado pelo Ministério ao Parlamento sobre a explosão de 6 demarço que matou dois soldados alemães e três dinamarquesesintegrantes da força internacional de segurança para oAfeganistão.Por outro lado, o inspetor da Força Aérea Gerhard Brackanunciou que o piloto e o engenheiro de vôo de um helicópteromilitar que caiu na semana passada em Hamburgo estavam bêbados.Todas as cinco pessoas a bordo - quatro militares e um médicocivil - morreram quando o aparelho caiu numa área suburbana dejardins a caminho de uma emergência médica.Sobre a explosão de Cabul, o Bild divulgou que o militar nocomando teria dito aos cinco soldados que ao invés de selivrarem dos mísseis com explosões controladas, eles deveriamdesarmá-los para serem levados como lembrança para casa.A explosão teria ocorrido quando deram início ao processo,matando os homens e ferindo outros oito.O Ministério da Defesa confirmou que uma equipe deinvestigação enviou na terça-feira um relatório ao Comitê deDefesa do Parlamento.Manfred Opel, um integrante do comitê dos governistassocial-democratas, disse à rádio NDR que a falta de cuidado nãopodia ser descartada como a causa do acidente, mas advertiu queos promotores e os militares ainda estavam investigando.Promotores alemães abriram na terça-feira uma investigaçãocriminal contra o soldado no comando quando os homens forammortos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.