Legnan Koula/EFE
Legnan Koula/EFE

Soldados rebeldes bloqueiam acessos na Costa do Marfim

Os militares exigem pagamentos do governo para liberação. Bloqueio acontece um dia após declarações de que soldados seriam punidos

AFP, O Estado de S. Paulo

13 Maio 2017 | 09h28

BOUAKE - Soldados rebeldes bloquearam o acesso a cidade Bouake, centro da Costa do Marfim, na manhã deste sábado, 13, exigindo pagamento para a liberação. A revolta ocorre um dia após o chefe do Estado Maior do Exército, General Touré Sekou, ameaçar os manifestantes com "sanções disciplinares graves."

O pagamento exigido faz parte de uma série de promessas feitas pelo governo federal aos 8,4 mil militares que se rebelam no país desde janeiro deste ano.

Bouake tem sido a capital de rebeliões desde 2002. Grande parte destes rebeldes, que apoiaram o presidente Alassane Ouattara na crise entre os anos de 2010-2011 contra o ex-presidente Laurent Gbagbo, se recusam a reconhecer a vitória eleitoral.

Neste sábado, o comércio e as agências bancárias fecharam as portas por medida de segurança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.