Reprodução
Reprodução

Soldados russos são encontrados em cidades sírias graças ao recurso de geolocalização

Grupo foi encontrado por meio de redes sociais; blogueiros sugerem que operações do Kremlin vão além de sua campanha aérea

O Estado de S. Paulo

09 de novembro de 2015 | 11h52

MOSCOU - Um número pequeno de soldados russos em serviço ou ex-soldados foram localizados na Síria, incluindo cidades próximas a Hama, Aleppo e Homs, disseram blogueiros russos no domingo, sugerindo que as operações do Kremlin se estendem além de sua campanha aérea.

Um relatório do Time de Inteligência de Conflito (CIT), grupo de blogueiros investigativos da Rússia, disse que redes sociais têm sido usadas para localizar três russos em serviço ou ex-soldados na Síria.

"Apesar de ainda não termos evidências indisputáveis de homens russos em serviço tomando parte direta nos combates na Síria, acreditamos que a situação observada contradiz as afirmações de autoridades russas de que as tropas do país não estão participando e não estão planejando tomar parte em operações em terra", disse o CIT.

O ministro de Defesa russo não respondeu o pedido por escrito para comentar sobre o assunto.

O CIT reproduziu as imagens publicadas em uma rede social por uma conta que pertence a Ayas Saryg-Ool, soldado que serviu na 74ª Brigada Separada de Rifle Motorizado da Rússia, e outra pertencente a Vladimir Boldyrev, que pode ser um membro da Marinha russa da 810ª Brigada Separada Marinha.

Ambos teriam publicado fotos com o recurso de geolocalização na Província de Hama. A página de Saryg-Ool, em que ele havia publicado uma imagem segurando uma arma de guerra pesada na cabine do que o CIT afirma ser um caminhão de reboque de artilharia, estava fora do ar no domingo.

Em mensagem, Boldyrev negou ser um militar enviado para a Síria e disse que as fotos foram tiradas quando ele ainda era um recruta. Ele não explicou os motivos de uma de suas fotografias ter sido geolocalizada em Hama. 

A Rússia lançou ataques aéreos pela primeira vez para apoiar o presidente Bashar Assad na guerra civil de quatro anos da Síria em 30 de setembro, mas afirmou repetidas vezes que não tem intenções de aumentar suas operações em terra. Ao invés disso, disse que limitará sua ajuda a treinamentos militares, conselheiros e entregas de equipamentos militares.

Oficiais de segurança dos EUA e especialistas independentes disseram na semana passada que Moscou aumentou suas forças na Síria para 4 mil pessoas, de um número estimado de 2 mil. Um oficial da defesa dos EUA afirmou que diversas equipes de lançamento de foguete e baterias de artilharia de longo alcance foram implantados do lado de fora de quatro bases que os russos estavam usando.

Os jatos militares da Rússia estão na base de Latakia, no oeste da Síria, local distante de onde os três homens foram localizados. /REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaSíriageolocalizaçãosoldados

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.