Solto clérigo envolvido em morte de 102 paquistaneses

A Corte Suprema do Paquistão ordenou hoje a libertação sob fiança de Maulana Abdul Aziz, um clérigo linha-dura que foi preso quando soldados atacaram a Mesquita Vermelha, comandada por ele, em 2007, matando 102 pessoas e excitando a insurgência islâmica. Aziz foi detido quando tentava fugir furtivamente da mesquita sitiada na capital Islamabad, vestido com uma burca, roupa que cobre todo o corpo usada por algumas mulheres muçulmanas.

AE-AP, Agencia Estado

15 de abril de 2009 | 20h52

As forças de segurança atacaram a mesquita onde vários militantes armados estavam há dias e não queriam se render. Segundo o governo, 102 pessoas morreram, dentre elas 11 agentes de segurança. O cerco motivou ataques suicidas e outros tipos de ações contra o governo e suas forças de segurança.

Hoje, um suicida a bordo de um carro-bomba atacou um posto policial matando seis oficiais e cinco civis. Dez pessoas ficaram feridas, algumas delas em estado grave, disse o chefe da polícia provincial Malik Naveed Khan. O ataque ocorreu nas proximidades de Peshawar, no noroeste do país.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãomesquitaclérigo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.