Solução militar na Síria seria inútil, diz papa em carta a Putin

Líder da igreja católica defende negociação por meio do diálogo durante cúpula do G-20

Philip Pullella, Reuters

05 de setembro de 2013 | 11h41

CIDADE DO VATICANO - O papa Francisco disse em carta ao presidente russo, Vladimir Putin, por ocasião da cúpula do G-20, que os líderes mundiais deveriam "deixar de lado a busca inútil por uma solução militar" na Síria.

Os EUA e a França cogitam atacar a Síria para punir o presidente Bashar al-Assad pelo suposto uso de armas químicas contra civis, em 21 de agosto. A Rússia lidera a oposição a essa ação.

"Ao invés disso (ataque), que haja um compromisso renovado de buscar, com coragem e determinação, uma solução pacífica por meio do diálogo e da negociação das partes, unanimemente apoiado pela comunidade internacional", disse o pontífice argentino.

Francisco disse que "interesses unilaterais" têm prevalecido, atrapalhando a busca por uma solução para um conflito que já matou mais de 100 mil pessoas em dois anos e meio.

"Aos líderes presentes (na reunião do G-20), a cada um deles, faço um encarecido apelo para que ajudem a encontrar formas de superar as posições conflitantes".

Ele convocou os 1,2 bilhão de católicos do mundo a participarem no sábado de uma jornada de oração e jejum pelo fim do conflito sírio. Disse ainda que os seguidores de outras religiões podem participar disso da forma que acharem conveniente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.