Solução para impasse no Iraque pode ser o aumento de tropas

O Pentágono procura uma saída para a situação no Iraque que passaria por um aumento do número de tropas por um breve período de tempo e um compromisso de longo prazo para intensificar o treinamento e a assessoria para as forças Iraquianas. É o que publica a edição desta segunda-feira,20, do diário The Washington Post que informa que a proposta do Departamento de Defesa está incluída em um estudo encomendado pelo chefe do Estado-Maior Conjunto do Exército dos EUA, Peter Pace.A análise chega em um momento em que a Casa Branca e o Grupo de Estudo para o Iraque, comissão independente liderada pelo ex-secretário de Estado James Baker, reconsideram sua política para o país árabe.O estudo sobre como melhorar a situação no Iraque apresenta três opções básicas: Aumentar o número de tropas; reduzir as forças no Iraque, mas aumentar o tempo de permanência no país; ou retirar-se.Fontes do Pentágono traduziram coloquialmente as três opções como "Go Big" ("ir em grande estilo"), "Go long" ("continuar por mais tempo"), ou "Go Home" ("ir para casa").Segundo fontes de Defesa citadas pelo jornal, o estudo é independente e o Pentágono opera à margem da Casa Branca com esta proposta.No entanto, a análise - formulada pelos coronéis do Exército H.R. McMaster, e dos Marines Peter Mansoor e Thomas C. Greenwood - conclui que a melhor opção seria um híbrido que combine a primeira e segunda opção.O aumento do tempo de permanência, especifica a análise, exigiria acrescentar entre 20 mil e 30 mil novos homens aos atuais 140 mil. Após esse aumento momentâneo haveria um corte de 60 mil homens, afirma o estudo publicado parcialmente pelo diário.Rejeição de BushO presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, em visita à Indonésia, rejeitou nesta segunda estabelecer compromissos sobre possíveis mudanças no número de soldados americanos destacados no Iraque."Não tomei nenhuma decisão sobre aumento ou redução do número de tropas, nem o farei até que tenha falado com uma série de fontes, entre elas os comandantes militares na região", afirmou Bush.O presidente americano fez estas declarações em entrevista coletiva conjunta com o colega indonésio, Susilo Bambang Yudhoyono, com o qual se reuniu nesta segunda na localidade de Bogor, cerca de 55 quilômetros ao sul de Jacarta.No domingo, 19, o ex-secretário de Estado americano Henry Kissinger disse em declarações à rede de televisão britânica BBC que a vitória militar no Iraque "não é possível", apesar de ter advertido que uma retirada precipitada poderia ter "conseqüências desastrosas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.