Somália prende clérigo suspeito de participar de ataques

As autoridades somalis prenderam ontem o xeque Mohamed Ismail, um clérigo islâmico suspeito de envolvimento em uma onda de ataques suicidas que mataram mais de 20 pessoas. Segundo o governador de Puntland, Gelle Yusuf, Ismail está envolvido em cinco ataques aparentemente coordenados ontem na república separatista da Somalilândia e na região de Puntland.Nenhum grupo assumiu até agora a autoria dos atentados. Os Estados Unidos afirmaram que os ataques têm a marca da Al-Qaeda. Eles ocorreram próximos de um escritório da ONU, do consulado etíope e do palácio presidencial da capital da Somalilândia, Hargeisa. Duas instalações do setor de inteligência foram atingidas em Puntland.A Somália não tem um governo de fato desde 1991, quando senhores de guerra depuseram o ditador Mohamed Siad Barre e em seguida começaram a guerrear entre si. O atual governo foi formado em 2004, com a ajuda das Nações Unidas, mas não consegue proteger seus cidadãos da violência nem reverter o quadro de pobreza.Além disso, militantes islâmicos realizam uma insurgência contra as tropas do governo e seus aliados etíopes há quase dois anos. Milhares de civis já morreram por causa da violência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.