Somente estrangeiras poderão usar biquínis na Indonésia

Projeto de lei contra pornografia veta 'qualquer tipo de comunicação' que possa gerar desejo sexual

Efe,

17 de outubro de 2008 | 12h03

O polêmico projeto de lei contra a pornografia elaborado pelo Parlamento indonésio permitirá apenas que estrangeiras usem biquínis, e exclusivamente em áreas turísticas, informou a edição desta sexta-feira, 17, do diário The Jakarta Post. O projeto de lei afirma que é possível considerar como pornografia "qualquer tipo de comunicação" que "possa gerar desejo sexual" ou "violar os valores morais da sociedade". Além disso, a futura lei autoriza grupos ou indivíduos a tomar "medidas preventivas" contra atos que considerem pornográficos, o que poderia gerar atos de violência. "A lei contra a pornografia tratará as áreas de lazer e entretenimento de forma diferenciada", assegurou o deputado Hussein Abdul Azis, do Partido Democrático, que faz parte da coalizão do governo.  O setor turístico, um importante motor da economia do país, e representantes de coletivos culturais sustentam que a normativa poderia prejudicar o país seriamente. Além disso, os críticos apontam que a definição de pornografia nesta lei é muito ambígua, e denunciam que ela encoraja os cidadãos a "fazer justiça com as próprias mãos".

Tudo o que sabemos sobre:
Indonésia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.