Sonda completou missão principal, diz ESA

A sonda Philae completou sua missão principal de explorar a superfície do cometa e enviou muitos dados antes de suas baterias esgotarem, informou a Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) neste sábado. "Todos os nossos instrumentos puderam ser operados e agora é hora de ver o que temos", disse o gerente da missão, Stephan Ulamec, segundo o blog da agência.

AE, Estadão Conteúdo

15 Novembro 2014 | 20h25

Desde que aterrissou na quarta-feira no cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko a cerca de 500 milhões de quilômetros da Terra, a sonda tem realizado uma série de testes científicos e enviado conjuntos de dados, incluindo fotos, para a Terra. Além disso, a sonda foi levantada na sexta-feira em cerca de 4 centímetros e virada em cerca de 35 graus, em um esforço para puxá-la para fora de uma sombra, de modo que os painéis solares possam recarregar as baterias, disse o blog da ESA.

O porta-voz da ESA Bernard von Weyhe confirmou no sábado a difícil operação de rotação da sonda. Ainda não está claro se foi possível colocar os painéis solares para fora da sombra. Mesmo que a sonda tenha sido virada com sucesso e consiga recarregar as baterias com luz solar, pode demorar semanas ou meses até que nova comunicação. O monitoramento por sinais vai continuar, mas agência não marcou nenhum novo anúncio à imprensa neste sábado.

O centro de controle de missão da ESA em Darmstadt, na Alemanha, recebeu os últimos sinais da Philae no sábado às 0h36 GMT (22h36 de sexta-feira no horário de Brasília). Antes de o sinal morrer, a sonda enviou todos os seus dados internos, bem como dados científicos de experimentos na superfície - o que significa que concluiu as medidas como planejado, conforme o blog da ESA.

Durante um esforço de escuta agendado para sábado, às 10h GMT (8h de Brasília), a ESA recebeu nenhum sinal da Philae, disse o chefe da missão, Paolo Ferri. Agora cabe à equipe de cientistas avaliar os dados e descobrir se os experimentos tiveram êxito - especialmente uma operação complexa na sexta-feira na qual a sonda recebeu comandos para perfurar um buraco de 25 centímetros no cometa e puxar uma amostra para análise.

A sonda já retornou imagens da superfície do cometa que mostram que "é coberto por poeira e detritos de tamanhos que vão desde milímetros até metros", enquanto "imagens panorâmicas mostraram paredes com camadas de material mais duro", disse o blog da ESA. Além de analisar os novos dados, os cientistas também tentam encontrar o local exato onde a Philae pousou na quarta-feira. "A procura pelo local de destino final de Philae continua, com as imagens de alta resolução da sonda sendo examinadas de perto", apontou o blog. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.