Sonda da Nasa atravessa tempestade de gelo no espaço

Uma sonda da Agência Espacial dos Estados Unidos (Nasa) se viu em meio a uma inesperada tempestade cósmica de gelo durante uma passagem recente por um cometa, mas escapou ilesa. A uma velocidade de mais de 40 mil km/h, a sonda Deep Impact passou a 700 quilômetros do cometa Hartley 2 em 4 de novembro. Esta foi a quinta vez em que um cometa foi observado tão de perto.

AE, Agência Estado

19 de novembro de 2010 | 19h59

Novas imagens da passagem revelam uma nevasca de manchas brancas cercando o cometa. "Não são estrelas. São pedaços de gelo", disse o pesquisador Michael A''Hearn, da Universidade de Maryland. A nuvem de gelo cercando Hartley 2 era impulsionada por jatos de dióxido de carbono emitidos do interior do cometa, disseram cientistas. À medida que o gás era expelido, carregava consigo toneladas de gelo, indo do tamanho de bolas de golfe ao de bolas de basquete.

Embora a Deep Impact estivesse a uma distância segura, ela aparentemente foi atingida nove vezes por partículas de gelo com menos massa que um floco de neve. A sonda não sofreu danos, disse o gerente do projeto, Tim Larson, do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa. Cometas são considerados cápsulas de tempo do Sistema Solar, sobras congeladas do tempo de sua formação, há cerca de 4,5 bilhões de anos. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAsondaNasatempestade de gelo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.