Sonia Gandhi pode rejeitar cargo de premier da Índia

A líder do Partido do Congresso, Sonia Gandhi, teria dito a seus aliados que não gostaria de ocupar o cargo de primeiro-ministro por questões de segurança, segundo informações de alguns membros do Congresso. O comunicado teria sido feito após encontrar-se com o presidente do país que, segundo a tradição, a convocou para encontro hoje a fim de convidá-la a ocupar o posto. Normalmente, os convocados saem desse encontro nomeados primeiro-ministro. No entanto, depois de se reunir com o presidente, Sonia disse à imprensa que mais um dia de conversações seria necessário. Mas acrescentou que "assim que possível" haverá uma cerinômia de posse. "O presidente busca informações sobre os partidos que nos apóiam e sobre aqueles nossos aliados", afirmou. Em seguida, Sonia teve um encontro reservado com membros do Partido do Congresso. O partido nacionalista Bharatiya Janata, que governa atualmente, é contra a ocupação do cargo de primeiro-ministro por Sonia, por causa de sua origem estrangeira - ela é nascida na Itália. A TV local disse que Sonia deve fazer um pronunciamento ainda nesta manhã e que Mohmohah Singh, principal líder do partido pode ser indicado por ela para primeiro-ministro. "Não penso haver uma decisão formal ainda, mas acredito que todos sabem o que está acontecendo", disse Salman Khursheed, representante do Partido do Congresso. "Não sei como a persuadiremos. Mas não vejo também o partido aceitando tal decisão. Não podemos imaginar uma alternativa", acrescentou, segundo noticiário da TV local. O secretário-geral do partido negou especulações de que Sonia hesitava em ocupar o cargo. Somanth Chatterjee, membro eleito ao Parlamento pelo Partido Comunista, disse que Sonia deve fazer um pronunciamento mais tarde, explicando porque não quer se tornar primeiro-ministro. "Há rumores de que seus filhos são contra, talvez por temer por sua segurança", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.