Soterrados podem chegar a 3 mil na Indonésia

O governo da Indonésia afirmou hoje que quase 3 mil pessoas podem estar soterradas sob os escombros, após o terremoto de magnitude 7,6 ocorrido anteontem na ilha de Sumatra. Já há pelo menos 715 mortes confirmadas oficialmente. Hoje, equipes de resgate conseguiram retirar duas pessoas vivas de uma escola. Em muitos pontos, porém, ainda não chegou ajuda, como por exemplo em um distrito da cidade de Padang, cidade muito atingida. Um porta-voz do Ministério da Saúde confirmou as 715 mortes e também que 2,4 mil pessoas estão hospitalizadas. Uma porta-voz da ONU em Jacarta afirmou que o número de mortos pode chegar a 1,1 mil.

AE, Agencia Estado

02 de outubro de 2009 | 11h49

A estimativa parece conservadora. Segundo o porta-voz do governo, quase 3 mil pessoas estão presas sob os escombros. Os piores estragos ocorreram na região de Padang, cidade costeira de 900 mil pessoas, na bastante povoada província de Sumatra Ocidental.

Ontem, a Indonésia pediu auxilio internacional. Países já enviaram médicos, cães para buscas e suprimentos de emergência. O presidente Susilo Bambang Yudhoyono pediu paciência aos familiares dos desaparecidos, garantindo que as autoridades estão fazendo todo o possível. A União Europeia já se comprometeu a enviar 3 milhões de euros (US$ 4,3 milhões) e a China ofereceu US$ 500 mil. A Alemanha se comprometeu a enviar US$ 3 milhões, além de materiais para resgate e para purificação de água.

A Indonésia fica sobre uma grande falha geológica e sofre dezenas de tremores a cada ano. O terremoto da quarta-feira foi originado pela mesma falha responsável pelo tsunami da Ásia em 2004, que matou 230 mil pessoas. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
terremotoIndonésiamortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.