Fernando Mexia/Efe
Fernando Mexia/Efe

Springfield, nos EUA, pode virar cidade-tema de 'Os Simpsons'

Autoridades locais pensam em fazer um festival para atrair turismo à cidade

Efe,

23 de abril de 2012 | 11h03

SPRINGFIELD - As autoridades de Springfield, no Oregon, discutem a possibilidade de vincular a cidade à série de televisão americana "Os Simpsons", como forma de buscar rentabilidade turística, mas o projeto não é unânime entre os moradores.

A ideia ganhou terreno depois dos recentes comentários do criador dos personagens, Matt Groening, que afirmou ser a Springfield de Oregon a inspiração da fictícia Springfield do programa.

A prefeita da cidade, Christine Lundberg, disse em entrevista à Agência Efe que os diálogos para explorar a possibilidade da identificação com "Os Simpsons" estão abertos. No entanto, afirmou que ainda não há nada planejado.

Mais determinado, o diretor da Câmara de Comércio, Dan Egan, antecipou que haverá uma reunião em algumas semanas para avaliar o potencial turístico da série. "Estamos pensando em fazer algo tangível, como um festival", disse.

No escritório de Egan há uma figura do arredio e avarento Senhor Burns do programa, que em uma "noite louca" se disfarçou de Homer para participar de um ato beneficente. Para ele, envolvimento do próprio Groening em algum evento pequeno é a chave para ver a associação de Springfield com "Os Simpsons".

Em 2007, a cidade ficou na terceira colocação em um concurso nacional, com outras localidades do mesmo nome, para receber a pré-estreia de "Os Simpsons - O Filme". Na ocasião, parte da população foi mobilizada para pintar de amarelo, a cor dos personagens, uma estátua branca de um homem a cavalo.

Por causa da participação no concurso, Springfield recebeu uma escultura de Homer Simpson e sua família sentados em um sofá. A peça foi transferida ao museu local há dois anos. No entanto, a diretora do museu, Debra Gruell, foi criticada por incorporar o item à coleção de objetos e imagens históricas de Springfield.

As gigantes figuras amarelas se destacam em um antigo edifício da era industrial, rodeado de objetos e imagens de um tempo em que não existia televisão. A falta de contexto, no entanto, foi irrelevante ao público. "As pessoal tiram fotos com elas para os cartões de Natal ou para convites de casamento", declarou Debra.

No entanto, apesar da grande popularidade, "Os Simpsons" não deixa de ser uma caricatura grotesca da sociedade americana, segundo os habitantes que se opõem à iniciativa. Os personagens não são um modelo de conduta e situá-los em Springfield poderia representar para alguns a criação de estereótipos negativos, afirmam.

A cidade, como muitas outras nos EUA, tem moradores com o sobrenome Simpson, embora eles se mantenham no anonimato, longe das câmaras e dos jornalistas para evitar comparações.

Dan Egan confessou que em 2007 em plena campanha para exibir em primeira mão o filme de "Os Simpsons" recebeu "diversas ligações de pessoas que diziam que a série era maligna e que a cidade não deveria se relacionar com ela".

No mesmo sentido, a prefeita Christine reconheceu que existiam pessoas que viam o fenômeno dos Simpsons na cidade como algo "negativo".

De fato, além do interesse turístico, a ideia que os Simpsons são de Springfield, Oregon, chamou a atenção de pessoas que querem se divertir às custas dos moradores. "Outro dia, nos passaram um trote. Nos ligaram perguntando se estavam falando com o Kwik-E-Mart de Springfield, a loja que aparece na série", disse Becky Barnes, funcionária do estabelecimento Dari Mart.

Para Debra, no final "tudo depende da atitude". "As pessoas que vivem em Springfield não quer que ninguém as deprecie. Mas, ao mesmo tempo é uma grande oportunidade para atrair visitantes. Quero que vejam que Springfield não é nada do que pensam e é bom para o negócio", concluiu.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.