Srebrenica: a maior matança desde a 2ª Guerra Mundial

As tropas da Sérvia tomaram a cidade de Srebrenica em 11 de julho de 1995 e nos dias seguintes mataram cerca de 7.500 pessoas, a maioria muçulmana, na que foi considerada a maior matança ocorrida na Europa desde o fim da Segunda Guerra MundialA Corte Internacional de Justiça sentenciou nesta segunda-feira, 26, que não se pode atribuir o crime de genocídio ao Estado da Sérvia e Montenegro, que era na época República Federal da Iugoslávia.O tribunal da ONU considerou, no entanto, que Belgrado violou a Convenção contra Genocídio de 1748 por não haver atuado para impedir o massacre.Srebenica, que ficava no leste da Bósnia, era habitado por muçulmanos e possuía cerca de 40 mil habitantes e viveu clima de guerra depois que a república da Iugoslávia aprovou sua independência em abril de 1992.Em 6 de maio de 1993, o Conselho de Segurnaça da ONU aprovou uma resolução que declarava que Srebrenica, junto com outras cidades eram " zonas seguras", pela proteção das Forças de Paz das Nações UnidasNo entanto, isto não foi capaz de impedir que em 11 de julho de 1995 que tropas da Bósnia invadissem a cidade. As Forças de Segurança não foram contra a invasão e saíram da cidade. Os muçulmanos da cidade tentaram impedir o cerco, ams muitos foram capturados.No dia seguinte da invasão, as tropas se concentraram na proibição do funcionamento de algumas fábricas e, posteriormente, homens de idade militar foram separados de suas mulheres e filhos.Dias depois, a Cruz Vermelha denunciou o desaparecimento de pelo menos 7 mil homens e disse que possuíam indícios suficientes para afirmar que eles foram assassinados.Em 8 de novembro de 2004, uma comissão do governo da Sérvia e da Bósnia estudou que genocídio matou cerca de 7.800 pessoas, sendo muçulmanos, na maioria.Atualmente, ainda continuam as buscas para identificação das vítimas e o número de pessoas enterradas passa de 8 mil.Os principais acusados pelo genocídio em Srebrenica são os ex-líderes militares Radovan Karadzic e Ratko Mladic.Entre os que foram condenados pelo massacre estão Radislav Krstic, que pegou 30 anos de prisão, Dragan Obrenovic, que ficou com 17 anos de detenção e Momir Nikolic, com 20 anos de prisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.