Sri Lanka anuncia morte de 64 rebeldes e 24 soldados

O Ministério da Defesa do Sri Lanka anunciou nesta segunda-feira a morte de 64 guerrilheiros tâmeis e 24 soldados nos combates deste domingo entre o Exército e a guerrilha, enquanto os conflitos continuam no distrito de Batticaloa, no leste do país. Este é o quarto dia de tensão em meio a uma guerra de números entre os dois lados. Os choques começaram na sexta-feira e já deixaram cerca de dez mil deslocados, afirmou um funcionário do distrito de Trincomalee. O anúncio do ministério foi rejeitado pelo porta-voz do grupo armado Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE), Rasiah Ilanthirayan, que só reconheceu a morte de sete guerrilheiros rebeldes. Enquanto o Exército admitiu no domingo duas baixas entre suas fileiras e anunciou a morte de 40 rebeldes, o LTTE acusou as tropas governamentais do assassinato de 25 civis e disse ter matado 40 soldados inimigos. Os combates no Sri Lanka aumentaram no fim de outubro, quando fracassou o diálogo de paz que ambas as partes mantiveram em Genebra. Desde 2002, está em vigor um cessar-fogo na ilha que, na prática, não é respeitado nem pelo Exército nem pelos guerrilheiros, apesar das pressões do quarteto mediador formado por Noruega, Japão, União Européia e Estados Unidos.O LTTE luta desde a década de 70 por um Estado independente no norte e leste da ilha, onde a etnia tâmil é maioria, em um conflito que se transformou em guerra aberta nos anos 80 e que causou mais de65 mil mortes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.