Sri Lanka aumenta segurança, rebeldes lamentam morte de líder

O Exército do Sri Lanka aumentou nosábado a segurança na capital, Colombo, em meio a temores deque os rebeldes do grupo Tigres Tâmeis possam realizarrepresálias pela morte de um líder político em ataques aéreosocorridos na sexta-feira. O grupo Tigres de Libertação do Tâmil Eelam declarou trêsdias de luto pela morte de S.P. Thamilselvan, porta-vozinternacional e principal interlocutor dos rebeldesseparatistas. Sua morte, segundo analistas, representa um profundoretrocesso para as esperanças de reativar as negociações de pazem um futuro próximo. "Temos de tomar precauções extraordinárias", disse oporta-voz do Exército, brigadeiro Udaya Nanayakkara. Jornalistas da Reuters viram equipes de segurançainstalando postos de segurança improvisados em Colombo. Acidade já está repleta de barricadas de sacos de areia ebloqueios de ruas, em um momento em que se escreve um novocapítulo da guerra civil de duas décadas. O ministro da Defesa, Gotabaya Rajapaksa, irmão dapresidente, Mahinda Rajapaksa, mostrou-se satisfeito nasexta-feira com a morte de Thamilselvan, e declarou que oExército deveria eliminar todos os líderes dos Tigres Tâmeis umpor um. Analistas afirmaram que a morte de Thamilselvan, queliderou a delegação rebelde durante a mais recente rodada deconversações de paz com o governo, no final de 2006, afastou asperspectivas para o fim de uma guerra que já matou cerca de5.000 desde o início do ano passado e cerca de 70 mil pessoasdesde 1983.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.