Standard & Poor's ameaça rebaixar notas das dívidas francesa e alemã

Agência dá viés negativo para a classificação de crédito de quase toda a zona do euro.

BBC Brasil, BBC

05 de dezembro de 2011 | 23h45

A agência de classificação de riscos Standard & Poor's alertou nesta segunda-feira que poderá rebaixar, em breve, a nota da dívida soberana de 15 dos 17 países da zona do euro.

Entre os países estão a Alemanha e a França, que possuem a mais alta classificação de crédito da agência, AAA.

Em um comunicado, a agência disse que colocou todos esses investimentos sob "vigilância negativa".

Isto significa que as notas destes países têm uma chance de 50% de ser reduzida em breve.

A Standard & Poor's justificou seu alerta devido à crise que se espalha pela Europa.

Em nota, a agência falou em "pressão negativa" sobre os papeis de todos os países da zona do euro.

O comunicado diz que o alerta é parte "da crença de que um estresse sistêmico na zona do euro aumentou nas últimas semanas" ao ponto de pressionar para baixo as notas de crédito da zona do euro como um todo.

Os dois únicos países que não estão na lista das 13 nações que poderão ter as notas rebaixadas são Ciprus e a Grécia. O primeiro porque já estava sob revisão da agência. O segundo já teve a avaliação rebaixada.

A baixa na nota de classificação fará com que o refinanciamento da dívida dos países europeus custe mais caro, já que os juros serão maiores.

Segundo analistas, o alerta reflete as incertezas sobre as possíveis consequências de um calote por parte de uma grande economia da zona do euro como a Itália.

Cúpula

O alerta da Standard & Poor's foi feito no mesmo dia em que os líderes de França e Alemanha disseram feira estar de acordo sobre as medidas a serem tomadas para fortalecer a zona do euro.

Durante encontro em Paris, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, e a chanceler alemã, Angela Merkel, disseram querer um novo tratado para a zona do euro, que deve incluir medidas automáticas contra países que violarem regras destinadas a manter déficits governamentais sob controle.

Merkel e Sakozy disseram que o tratado poderia ser ratificado apenas pelos 17 países que compartilham a moeda comum, caso não seja possível a aprovação de todos os 27 integrantes da União Europeia. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.